ContosSuspense

O Diário de João – A Pandemia Parte III | Conto de Suspense

Escrito por: Herica Freitas

No ano de 2019 a humanidade foi infectada por um parasita que modificou o comportamento pessoal de cada um. No início do surto tudo era novidade, nenhuma notícia era certa e não se sabia se sobreviveríamos. O mundo foi mudando com o passar dos anos, até que se tornasse uma devastação total, cheio de mortos-vivos andando sobre a terra atrás de sangue e pessoas tentando sobreviver a qualquer custo. Indicado para 16 anos ou mais.

Nota: Este diário pertenceu ao doutor João Passos, médico recém formado e residente do hospital Européen. Durante dias o doutor relatou a rotina dos médicos perante o surto do parasita que dizimou a raça humana Conheça sua história e a evolução do caos com suas mais assustadoras anotações.

Dia 15 de Novembro de 2019

Olá, me chamo João Passos. Se você está lendo esse diário eu provavelmente sucumbi nesse mundo de desgraça e caos. Sou médico recém formado e residente no hospital Európpen. Por causa de um surto parasita eles adiantaram nossa turma em seis meses. A humanidade está passando por um momento delicado, temo pela vida dos meus familiares e amigos. Eu não sei até quando vamos aguentar.

Dia 16 de Novembro de 2019

Depois que as notícias finalmente começaram a circular nos jornais nós vimos que a situação era ainda mais preocupante. Os primeiros infectados já chegaram aqui no Európpen. Eu e os outros residentes fomos alocados para ajudar na contenção dos pacientes e também de novas infecções. Os doentes desenvolveram:

  • Febre alta (39-42ºC);

  • Náuseas;

  • Fraqueza;

  • Resistência ao medicamento azitromicina e pirimetamina.

Dia 16 de Dezembro de 2019

As notícias estão ainda mais assustadoras. O mundo inteiro está sabendo sobre os ataques de pânico e raiva dos pacientes infectados inicialmente. Depois de oito semanas os sintomas só pioram e eles começam a ficar muito agressivos. Houve relatos de um paciente que transmitiu para o médico com uma mordida. Isso é bizarro. Aqui no Európpen, os meus pacientes ainda não desenvolveram nenhuma mudança de humor. O paciente zero está muito fraco, já o reanimamos três vezes essa semana. Não sei quanto tempo mais ele vai aguentar. Para ser sincero, eu também não aguento mais, tem cerca de 43 horas que eu não durmo direito.

Dia 16 de Janeiro de 2020

A ONU declarou que a doença se tornou uma pandemia, logo tudo se tornou um caos. Não se sabe ao certo como as pessoas estão sendo infectadas, mas agora os casos passam dos 5 milhões no mundo todo. Os pacientes continuam desenvolvendo múltiplas personalidades e, com isso, aumentando sua agressividade. Ontem nós perdemos o paciente zero. Seu nome era Alex Alencar. Homem branco, 36 anos e saudável. Os outros pacientes estão muito agitados. Pedimos ajuda das forças armadas e eles instalaram no sétimo andar algumas celas para conter os pacientes mais agressivos.

Dia 17 de Janeiro de 2020

O paciente zero acordou depois de 24 horas do seu óbito, foi um susto gigantesco para todo mundo do IML. Nós o reservamos em uma cela para estudar seu comportamento. Ele mordeu a Joan do IML enquanto tentava escapar, ela agora está sob supervisão da equipe de quarentena. Estou muito assustado, não vejo meus pais há meses, preciso descansar.

Dia 18 de Janeiro de 2020

Joan começou a ter febre ontem, aconteceu duas horas depois da mordida. Ela vomitou bastante e agora está sendo medicada. Seu quadro está evoluindo muito rápido, isso é triste. Agora nós temos certeza sobre as mordidas, elas são muito perigosas. Meu Deus, eu preciso muito acordar desse pesadelo. Não durmo direito há mais de 3 meses, não como, não saio desse inferno e a cada dia sinto meu corpo sem forças para lutar. Precisamos de um milagre.

Dia 26 de Janeiro de 2020

Já são mais de 300 mortos por dia no nosso setor, por questão de segurança nós isolamos o IML, eles estão sendo colocados no estacionamento de ambulâncias. Tudo lacrado e fechado, é proibida a entrada no local. Desenvolvemos uma forma de depositar os corpos sem precisar acessar. Tudo está um caos, eu poderia jurar que ouvi gritos vindo do “Depósito de Corpos” ontem pela manhã. É assustador!

Dia 27 de Janeiro de 2020

Joan veio a óbito hoje, eu estava com ela. Liguei para a sua família, mas ninguém atendeu. Foi triste colocar seu corpo naquele lugar. 

Dia 29 de Janeiro de 2020

Notícias do mundo inteiro sobre os mortos-vivos correm nas redes sociais. As pessoas estão chamando de apocalipse zumbi, fim dos tempos e tudo mais que há de histórias de ficção. É assustador, muito assustador. Não consegui falar com meus pais hoje, fiquei muito assustado, vou tentar mais tarde, talvez eles estivessem estocando alimentos.

Dia 30 de Janeiro de 2020

A gente precisou evacuar o hospital. A porta do “Depósito de Corpos” se rompeu e os mortos saíram andando e mordendo todo mundo que encontraram pelo caminho. Eu corri deixando tudo para trás, peguei minha bolsa com os pertences básicos e meu carro no estacionamento, vim para a casa dos meus pais. Construímos uma barricada nas portas e estamos acompanhando as notícias. Nossa cidade parece ter sido tomada pelos mortos e a polícia disse para ficarmos em casa.

Dia 12 de Fevereiro de 2020

Meu pai foi infectado enquanto tentava rebarricar nossa porta, eu não sei o que faço. O trancamos no quarto por precaução, estou desesperado, minha mãe está aos prantos. Não temos notícias dos outros parentes, nem de amigos. Parece que é nosso fim.

Dia 13 de Fevereiro de 2020

Minha mãe entrou no quarto porque achou meu pai muito calado. Ela foi mordida por ele e agora estão os dois lá dentro, trancados. Eu estou apreensivo, pois sei o que vai acontecer com eles. Não sou forte para vê-los partir, estou pensando em me enforcar, já amarrei a corda na sala e estou sentado olhando para ela enquanto ouço os gritos e grunhidos do quarto. Eles já estão mortos, eu tenho certeza.

Dia 14 de Fevereiro de 2020

Peguei o armamento de caça do meu pai, preparei uma mochila e abandonei minha casa. Não encontrei nenhum vivo pelo caminho, apenas os mortos. Matei um dos nossos vizinhos que tentou me morder, eu realmente não queria fazer isso, mas aquela coisa não tinha mais vida, os olhos não eram os do Ben. Eu acho que já entendi o que preciso fazer. Vou procurar abrigo e mantimentos, preciso de um lugar seguro até que os oficiais venham nos recolher no centro, será daqui a dois dias.

Dia 16 de Fevereiro de 2020

Cheguei ao centro, junto com mais um monte de gente. Esperamos e nada… o resgate não veio. Encontrei alguns amigos durante esse feito, e juntos resolvemos não ficar mais à espera de nada. Eles são Chloe, Adam, Jessy, Margarida e Tom. Partimos à procura de abrigo.

Dia 17 de Abril de 2020

Tem muito tempo que não escrevo, eu sei. Os caras e eu encontramos uma velha fábrica de enlatados onde conseguimos alguma comida e segurança. Infelizmente, no processo, a Chloe foi mordida e pediu para que nós a matássemos assim que a doença tomasse seu corpo. Ela não queria se tornar um deles. Depois que ela morreu a primeira vez, eu enfiei minha faca em sua cabeça da forma mais gentil que consegui. Eu sinto muito, Chloe.

Dia 19 de Junho de 2020

Adam e Jessy parecem estar se conhecendo melhor, eles agora estão muito próximos. Eu e os outros estamos dando mais privacidade para o casal. Recentemente abandonamos a fábrica de enlatados, ela foi invadida por uns caras estranhos e a gente decidiu não arranjar briga. Achamos um lugar bom aqui no shopping, parece estar vazio. Coletamos alguns medicamentos, armas brancas, roupas e comida. 

Dia 3 de Setembro de 2020

Adam e Jessy partiram hoje, eles foram para o campo. Acho que o fato dela estar grávida fez com que eles tomassem essa decisão. Agora somos só Margarida, Tom e eu. A gente está vagando pela cidade há meses, encontramos alguns humanos pelo caminho, mas não confiamos muito neles. Estamos trilhando nosso próprio caminho.

Dia 12 13 de Outubro de 2020

Tom me disse que hoje é dia 13, eu acho que é dia 12. Bom, não importa. Margarida saiu noite passada para tentar conseguir alguma comida, ela ainda não voltou. Tom e eu estamos indo atrás dela. Espero que não aconteça [continuar depois]

Dia 14 de Outubro de 2020 (Segundo o Tom)

Ontem a Margarida chegou, estava muito machucada. Perguntamos o que houve, mas ela não quis contar, estava chorando e muito trêmula. Ela nos disse que não foi mordida, mas que tinha encontrado alguns monstros no caminho. A deixamos um tempo sozinha, Tom e eu ficamos intrigados. Eu, como médico e bom observador, conheço aquelas marcas. Ela teve uma briga feia com alguém, está cheia de hematomas.

Dia 16 de Outubro de 2020 (Segundo o Tom)

Margarida finalmente saiu do quarto e veio conversar conosco. (Nós estamos morando nas salas do SAC do shopping.) Ela nos contou que encontrou dois homens, eles a violentaram e agrediram. Ela conseguiu escapar e matou um deles, nós nunca havíamos matado um vivo. Ela está em choque.

Dia 17 de Outubro de 2020 (Segundo o Tom)

Margarida viu o segundo homem rodeando o shopping, nós o seguimos e encontramos um grupo de seis pessoas. Eles estavam violentando duas mulheres. Armamos uma emboscada e eliminamos os homens. Infelizmente as mulheres não resistiram aos ferimentos e vieram a óbito dois dias depois. Nós coletamos os suprimentos, eles tinham muitas armas e comida.

Dia 28 de Novembro de 2020 (Segundo o Tom)

Margarida descobriu que estava grávida do homem que abusou dela. Ela… entrou em choque e acabou se matando. Tom e eu estamos aqui enterrando seu corpo. Estamos muito tristes e revoltados com os monstros que fizeram isso com ela e com as outras mulheres.

Dia 19  de Outubro de 2021

Olha o que eu encontrei no antigo shopping! Achei o meu diário. Tom disse que era loucura voltar aqui só por um amontoado de papel. Muita coisa aconteceu nesse meio tempo. Tom e eu estamos fazendo parte de um grupo muito legal, nós encontramos Adam e Jessy, e a filha deles, a quem deram o nome da Chloe. Vamos passar alguns dias com eles.

Dia 25  de Outubro de 2021

A Chloe está passando muito mal. Eu a examinei e acredito que esteja com pneumonia. Precisamos de antibióticos e de alguns cilindros de oxigênio por precaução. Tom e eu vamos ao hospital Européen. Eu disse a ele que pode ser muito arriscado, contei da minha trajetória, e já tem mais de um ano que eu não volto lá. Traçamos um plano de entrada, que Deus esteja conosco.

Dia 27  de Outubro de 2021

Chegamos na universidade em frente ao hospital. Pelo caminho Tom e eu tivemos algumas surpresas, infectados e humanos. É difícil saber que em meio a um caos como esse, o ser humano continua sendo a maior ameaça. Talvez isso que estamos vivendo seja o castigo. Precisamos entrar no hospital enquanto é dia… Tom está chamando.

Dia 27  de Outubro de 2021

Eu fui mordido durante uma luta no hospital, minha perna dói muito. Sinto que meu organismo foi infectado. Não contei ao Tom. Disse a ele para montarmos acampamento hoje e voltar pela manhã. Assim que ele dormir eu vou fazer o primeiro turno e sumo para não machucar meu amigo.

Dia 28  de Outubro de 2021

Agora devem ser umas três da manhã, a minha mordida parou de latejar e eu não estou febril. Nem sinto náuseas ou qualquer outro sintoma. Deixei o Tom e os suprimentos na universidade e voltei ao hospital. Fiz algumas análises no sangue da mordida e o meu organismo está combatendo a infecção. Não entendo como, nem porque, mas eu não estou infectado. Isso me deixa muito entusiasmado, será que eu posso desenvolver uma cura? Minha cabeça está cheia de ideias, eu preciso muito contar isso para alguém.

Dia 30  de Outubro de 2021

Chegamos com os suprimentos, Chloe estava muito doente e eu logo comecei o tratamento, espero que a pequena resista. Acabei não contando ao Tom sobre o que houve, preciso de mais informações antes de sair contando para todo mundo.

Dia 6 de Novembro de 2021

A pequena está mais forte do que nunca. O tratamento foi maravilhoso e a Chloe finalmente está curada. Nossos amigos estão felizes com tudo isso, eu realmente espero que a menina fique bem. Tom e eu decidimos partir hoje, no caminho vou contar a ele.

Dia 7 de Novembro de 2021

Contei ao Tom sobre o que houve, de início ele ficou muito assustado, mas quando viu a mordida cicatrizada acreditou em mim. Estamos agora voltando para o hospital, vamos fazer mais testes e começar a desenvolver alguma coisa. Esse cara é realmente um grande amigo, se eu desenvolver uma cura, com certeza ele será o primeiro a receber.

Dia 9 de Novembro de 2021

Por questões óbvias, vou mudar o caderno de anotações, vamos começar relatos da pesquisa em áudio e anotações mais técnicas.

Dia 12 de Janeiro de 2022

Conheci uma mulher, ela fazia parte de um grupo que abandonou toda a ciência e tecnologia do “mundo antigo”. A encontrei bisbilhotando o hospital, conversamos e ela ouviu minha história. Ela é linda, eu nem sei quanto tempo faz que eu não vejo uma mulher que me desperte isso.

Dia 15 de Janeiro de 2022

Melissa e eu ficamos juntos noite passada, acho que estamos apaixonados. Ela nos disse que o seu grupo iria chegar ao hospital e que seria interessante que Tom e eu partíssemos. Eu disse a ela para vir conosco, mas ela não me ouviu. Eu disse a Tom para esperamos o grupo dela e contar o que eu sabia, ele se opôs e brigamos, Tom partiu e eu fiquei com Melissa.

Dia 14 de Julho de 2039

É uma loucura pensar que eu achei esse diário depois de tanto tempo, jamais pensei que ele pudesse estar intacto. Sei que passaram-se muitos anos, devo isso ao meu amor pela Melissa, que não deixou que me matassem. Logo depois que o grupo dela chegou, eu vi o motivo pelo qual ela queria que eu fosse embora, as mulheres eram loucas. Me mantiveram preso em cativeiro por 16 longos anos. Nunca mais soube de Melissa nesse tempo, eu achava que ela havia me abandonado para viver com seu grupo, mas para a minha surpresa ela sempre esteve planejando me salvar, me ajudar. Ela nunca deixou que as amazonas fizessem qualquer mal comigo, mesmo não vindo até mim. 

Dia 15 de Julho de 2039

Descobri que eu tenho um filho, o nome dele é Cosmo, Melissa me contou o que ela teve que passar para que não matassem o menino. É estranho saber que o garoto é meu, isso me deixa um pouco feliz e ao mesmo tempo preocupado. Fico pensando, será que Cosmo tem a mesma imunidade aos mortos que eu? Não quero assustá-lo, mas seria bom que fizéssemos alguns exames quando chegarmos até o laboratório da universidade.

Dia 16 de Julho de 2039

Enquanto a gente fazia uma busca pelo hospital, encontrei algumas anotações de Tom. Fiquei pensando se ele estaria vivo, por onde estaria andando e se pensa no seu velho amigo. Não foi muito legal da minha parte discutir com ele por causa de Melissa, mas fico feliz que ele tenha ido embora, assim não precisou viver o inferno que eu vivi.

Dia 16 de Setembro de 2039

Estamos partindo para uma viagem perigosa. São mais de mil quilômetros por zonas repletas de infectados e não sabemos o que podemos encontrar ao longo do caminho. Espero que o laboratório da universidade esteja intacto para que eu possa continuar a minha pesquisa e desenvolver uma cura.


Nossa parceira! Editora CHA – Livros e Sistemas Nacionais – https://editoracha.com.br/loja/


Podcast RPG


APOIE NOSSA CAUSA!

Nossa Campanha do PADRIM está no AR! Acesse e veja nossas Metas e Recompensas para os Padrinhos e Madrinhas.
padrim.com.br/rpgnext

 

Se você preferir nos apoiar pelo PICPAY, acesse e veja nossas recompensas:
picpay.me/rpgnext

 

Doadores

 

COMPARTILHE!

Se você gostou desse Podcast de RPG, então não se esqueça de compartilhar!

Nosso site é https://rpgnext.com.br,

DEIXE SEU FEEDBACK!

Se quiser deixar seu feedback, nos envie um e-mail em [email protected] ou faça um comentário nesse post logo abaixo.

Seu comentário é muito importante para a melhoria dos próximos episódios. Beleza? Muito obrigado pelo suporte, pessoal!

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: